MAR DE MORROS

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

SOMBUQUE 16, PEDRAS QUE FLUTUAM, ANIBAL, 1978


Este é o quarto álbum de 78, pelo visto, todas as músicas foram feitas de parceria com o meu irmão Marco Antônio, o A de Antônio, explicando melhor, na ocasião, ele lançou um livreto de poesias, PEDRAS QUE FLUTUAM,  e assim, eu acabei musicando-o, 1978 foi realmente um ano fértil, é isso aí.

As composições deste álbum,

161 – 1ª LIÇÃO (Anibal Werneck & A de Antônio)
162 – QUANDO AS PEDRAS FLUTUAM (I) (Anibal Werneck & A de Antônio)
163 – QUANDO AS PEDRAS FLUTUAM (II) (Anibal Werneck & A de Antônio)
164 – QUANDO AS PEDRAS FLUTUAM (III) (Anibal Werneck & A de Antônio)
165 – QUANDO AS PEDRAS FLUTUAM (IV) (Anibal Werneck & A de Antônio)
166 – QUANDO AS PEDRAS FLUTUAM (V) (Anibal Werneck & A de Antônio)
167 – QUANDO AS PEDRAS FLUTUAM (VI) (Anibal Werneck & A de Antônio)
168 – QUANDO AS PEDRAS FLUTUAM (VII) (Anibal Werneck & A de Antônio)
169 – VOLEVANAVIDA (Anibal Werneck & A de Antônio)
170 – HÁ UMA PEDRA (FUGINDO DA LIÇÃO) (Anibal Werneck & A de Antônio)
171 – COTIDIANO (Anibal Werneck & A de Antônio)
172 – SAÍDA/CHEGADA (Anibal Werneck & A de Antônio)
173 – INTEGRAL (Anibal Werneck & A de Antônio)
174 – COTIDIANO Nº 2 (Anibal Werneck & A de Antônio)
175 – PLÁGIO (Anibal Werneck & A de Antônio)

anibal werneck de freitas.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

SOMBUQUE 15, UTOPIA, ANIBAL, 1978

 

1978 foi um ano muito criativo na minha vida de compositor, foram quatro álbuns, UTOPIA foi o terceiro donde evidencio nesta postagem a música TREM NOTURNO de parceria com o Armindo Torres.




As composições deste álbum,

154 – CANTO CABOCLO (Anibal Werneck & Zé Guimarães)
155 – FUTURO (Anibal Werneck & Zé Guimarães)
156 – EU (Anibal Werneck & Zé Guimarães)
157 – MEU MUNDO (Anibal Werneck & Zé Guimarães)
158 – CANÇÃO: URGENTE! (Anibal Werneck & Zé Guimarães)
159 – TREM NOTURNO (Anibal Werneck & Armindo Torres)
160 – UTOPIA (Anibal Werneck de Freitas)


anibal werneck de freitas.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

SOMBUQUE 14, EDÚ, ANIBAL, 1978


Este é o Sombuque 14, de 1978, composto de 20 melodias minhas com um único parceiro, Zé Guimarães. A música [deste álbum musical] NASCI é a escolhida para esta postagem, onde o autor da letra fala como veio ao mundo.


As composições deste álbum,



134 – O VIVENTE, TRAPEZISTA, PINGENTE (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

135 – A CRIANÇA, O HOMEM E O PÓ (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

136 – PEREGRINO (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

137 – ARESTAS (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

138 – ROTINA (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

139 – SONG FOR A WOMAN WITH A NEW BORN BABY ON HER ARMS (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

140 – FEITO UM PALHAÇO (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

141 – FACE A FACE (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

142 – SAFA-TE PEDRA (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

143 – O SOL (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

144 – UNHAS E DENTES (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

145 – JUSTIFICANDO (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

146 – NA FALTA DO AMOR TRIDIMENSIONAL (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

147 – LAMENTO (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

148 – NASCI (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

149 – SEXO (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

150 – INFÂNCIA  (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

151 – PRA VOCÊ (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

152 – DESEQUILÍBRIO (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

153 – TER (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

 

anibal werneck de freitas.

sábado, 3 de dezembro de 2011

SOMBUQUE 13, SONHO, ANIBAL, 1978

Neste álbum a qualidade musical definiu o meu estilo de compor tomam corpo juntamente com os meus parceiros, Armindo Torres, A de Antônio e Zé Guimarães, cuja música, SONHO, virou título, e, CERTEZA, foi a canção escolhida para ilustrar esta postagem.


As composições deste álbum,



122 – TRILHOS SOLTOS (Anibal Werneck de Freitas)

123 – FOI-SE NA FOICE (Anibal Werneck de Freitas)

124 – SE QUER AJUDA (Anibal Werneck de Freitas)

125 – COMUNHÃO DE AMOR (Anibal Werneck & Armindo Torres)

126 – CERCADA (Anibal Werneck de Freitas)

127 – TECNOLOGIA (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

128 – SONHO (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

129 – VEM! (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

130 – ADOLESCER (Anibal Werneck & Zé Guimarães)

131 – CERTEZA (Anibal Werneck & A de Antônio)

132 – ADOLESCÊNCIA (Anibal Werneck & A de Antônio)

133 – REDENÇÃO (Anibal Werneck & Armindo Torres)


 

anibal werneck de freitas.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

SOMBUQUE, 12, RENASCENDO, ANIBAL, 1977

Álbum contendo apenas cinco composições, sendo três [Nós 2, Renascendo e Serra das Virgens] com o parceiro Armindo Torres, nesta coletânea, minha maneira própria de compor começa a se concretizar.





 As composições deste álbum,



117 – NÓS (Anibal Werneck & Armindo Torres)

118 – RENASCENDO (Anibal Werneck & Armindo Torres)

119 – MADRUGADA (Anibal Werneck de Freitas)

120 – TERRA MÃE (Anibal Werneck de Freitas)

121 – SERRA DAS VIRGENS (Anibal Werneck & Armindo Torres)


anibal werneck de freitas.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

SOMBUQUE , 11, HÁ SEMPRE ALGUMA COISA, ANIBAL , 1976

Aí está a minha produção musical de 1976, um álbum com 14 composições minhas, sendo a maioria com o parceiro Armindo Torres, nesta coleção minha música começava a tomar uma forma própria, o parceiro Armindo Torres tem a ver com isso, suas letras de alto nível mexeu com a minha música, obrigando-me a encontrar o meu estilo de compor, na verdade tudo começou aí nesta coleção, onde o parceiro assina comigo as seguintes canções, A Peça, Infância, Nós, Da Janela Do Papa, Ei, Espere!, Epitáfio No Particípio Presente, O Último Trem e Há Sempre Alguma Coisa, que se transformou no título desta pequena obra.


As composições deste álbum,



103 – COMO LENÇOL DE LEITO (Anibal Werneck de Freitas)

104 – MULHER DESTE MUNDO (Anibal Werneck de Freitas)

105 – RECADO (Anibal Werneck de Freitas)

106 – A PEÇA (Anibal Werneck & Armindo Torres)

107 – INFÂNCIA (Anibal Werneck & Armindo Torres)

108 – NÓS (Anibal Werneck & Armindo Torres)

109 – DA JANELA DO PAPA (Anibal Werneck & Armindo Torres)

110 – O AMOR, O ÓDIO E A DOR (Anibal Werneck de Freitas)

111 – TEMPERANÇA (Anibal Werneck de Freitas)

112 – MESMO ASSIM VOU VIVENDO (Anibal Werneck de Freitas)

113 – EI, ESPERE! (Anibal Werneck & Armindo Torres)

114 – EPITÁFIO NO PARTICÍPIO PRESENTE (Anibal Werneck & Armindo Torres)

115 – O ÚLTIMO TREM (Anibal Werneck & Armindo Torres)

116 – HÁ SEMPRE ALGUMA COISA (Anibal Werneck & Armindo Torres)


anibal werneck de freitas.

terça-feira, 29 de novembro de 2011

ESTA MARAVILHA CHAMADA INTERNET


Sem a Internet jamais conseguiria mostrar o meu trabalho de compositor musical para um público maior, isto era privilégio dos famosos, pois bem, a Internet está pondo um ponto final nisso, qualquer um, hoje em dia, pode colocar a sua obra ao alcance do mundo inteiro, os únicos problemas que ainda perduram são, 1º) a propaganda que a mídia faz dos seus artistas e, 2º) o preconceito que ainda existe em relação ao artista que não é famoso, muita gente acha que ele é pretensioso, um absurdo, é pura ignorância, tem muita coisa boa que não está na mídia, aliás, a dita cuja, ultimamente, só tem mostrado, na maioria das vezes, na questão da música, um nível muito baixo, através de um interesse puramente comercial , mas isso está com os dias contados, os da TV, também. Na Internet, a gente vê o que quer, já na TV, a gente vê o que eles querem, é tudo programado, ou melhor, direcionado.
Certo dia, um amigo virou pra mim e disse, Fazer entrevista com pessoas comuns não é interessante, isto só funciona com as famosas, Eu olhei pra cara dele e pensei com os meus botões, este estudou numa faculdade e pensa assim, imagina os que não estudaram, o plim-plim domina a massa, todavia, um dia vai deixar de ser assim, porque eu acredito na Internet que veio para ficar, graças a ela estou mostrando um trabalho que dediquei uma vida inteira nele, tenho o direito de mostrá-lo como qualquer artista da mídia, não me julgo superior a eles, mas também não me julgo abaixo, tanto assim que tenho a coragem de expor com todas as letras, as músicas que sempre fiz com muito amor a arte, quem me conhece sabe disso, minha música é autêntica, ou seja, feita sem forçar a barra, é uma coisa que flui naturalmente dentro de mim, eu mesmo faço as minhas gravações num estúdio precário e, não sei como explicar, o resultado é sempre assombroso, parece-me que algo a mais acontece, embora eu não acredite nessas coisas, todavia, quem sou eu para contestá-las, portanto, meu caro ou minha cara, enquanto viver, estarei expondo as minhas canções nesta maravilha chamada Internet, é isso aí.

Anibal Werneck de Freitas.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

SOMBUQUE Nº 10, ANIBAL, O PRINCÍPIO DO FIM, 1975


Um pouco de História:

1975, álbum musical nº 10, na capa, meu auto retrato, o título, O PRINCÍPIO DO FIM, soa muito estranho, no entanto faz sentido. Aqui representa um MARCO na minha arte de compor, a partir deste álbum, minha música tomaria outro rumo, influenciada pelos meus parceiros, també,. Ela se tornaria mais madura, acarretando assim, mais qualidade. Como pode perceber, neste trabalho a minha inspiração não foi lá essas coisas, foi quase um hiato. Na verdade foi um fim, só que dele eu deixei bem claro que teria um princípio como Fênix renascendo das cinzas.


Músicas deste álbum:
095 - STRESS (Anibal Werneck de Freitas)
096 - SEU CORPO (Anibal Werneck de Freitas)
097 - NADA X TUDO (Anibal Werneck de Freitas)
098 - MEU DEUS (Anibal Werneck de Freitas)
099 - REALIDADE (Anibal Werneck de Freitas)
100 - RECORDANDO ECILA (Anibal Werneck de Freitas)
101 - BEEMBOLADA (Anibal Werneck de Freitas)
102 - TUMBA SONORA (Anibal Werneck de Freitas)



Anibal Werneck de Freitas.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

SOMBUQUE Nº 9, ANIBAL, O INCANSÁVEL, 1974


Um pouco de História:

1974, álbum musical nº 9, título, Anibal, o Incansável, na capa, uma parede de tijolos expostos e, nela, uma janela mostrando a sombra de um seresteiro com o seu violão, no fundo, um céu estrelado com uma Lua à sua direita.
Os parceiros desta nona coleção musical são Alice Machado, minha esposa e Armindo Torres, meu amigo. A pequena produção de apenas 6 composições musicais mostra que 1974 foi um ano difícil.


Canções deste álbum musical:

89 – SÓ O AMOR CONSTRÓI A PAZ (Anibal Werneck de Freitas)
90 – MULHER DESTE MUNDO (Anibal Werneck de Freitas)
91 – LÁ NA UNIVERSIDADE (Anibal Werneck de Freitas)
92 – SAUDADE (Anibal Werneck de Freitas)
93 – TEMPO DE CRIANÇA (Anibal Werneck & Alice Machado)
94 – A PEÇA (Anibal Werneck & Armindo Torres)

Destaque para a música, SÓ O AMOR CONSTRÓI A PAZ, no vídeo abaixo:



domingo, 23 de outubro de 2011

ANIBAL PARTICIPA DO ANO RADIANTE 2012 E LANÇA CD COM MÚSICAS PREFERIDAS DE SEU PÚBLICO

O cantor e compositor Anibal Werneck de Freitas aceitou participar do ANO RADIANTE 2012 e vai lançar um CD ESPECIAL com suas músicas no ano que vem . Você pode participar da seleção das canções escolhendo as melodias de sua preferência. O Anibal vai sugerir em cinco etapas , seis canções e cada participante vai poder indicar duas músicas , das seis opções, pra fazer parte do CD . Visite os links abaixo das canções que você não conhece e dê sua opinião, indicando a sua preferencia por email, para jrminas@yahoo.com.br , ou faça comentário abaixo das músicas ouvidas ou use o telefone (32)34444-1639 ouc arta para a reedação de OJR,M . Vamos, participe, você estará concorrendo a diversos brindes (livros, CDs, assinatura de jornal e outros prêmios.
Música O NOSSO NOSSO - VÍDEO AQUI BLOG DO ANIBAL
Música LUIZA - VÍDEO AQUI BLOG DO ANIBAL
Música MINEIRO PAU - VÍDEO AQUI BLOG DO ANIBAL
Música VERDE DA MATA - VÍDEO AQUI BLOG DO ANIBAL
Música VIOLÃO - VÍDEO AQUI BLOG DO ANIBAL
Música TRILHOS TORTOS - VÍDEO AQUI BLOG DO ANIBAL

ANO RADIANTE 2012 INFORME-SE AQUI

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

COMO NOS VELHOS TEMPOS


As pessoas têm comentado comigo que o visual do texto , só com as letras minúsculas, é bastante confuso, dificultando assim um maior entendimento.  
Sendo assim, aqui estamos de volta ao que era antes.

Anibal.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

sombuque 8, a distância, 1973



um pouco de história

1973. álbum musical nº 8.  na capa, os nomes das música deste álbum.  os parceiros inseridos nela, composta de cinco melodias são:  armindo torres e vinicius de moraes.  quanto ao vinícius, tudo começou quando vi uma letra de sua autoria e não resisti em colocar um som, o vinicius morreu sem saber disso, confesso que gostei.  agora, a música, canto v de camões, a respeito do episódio do adamastor no, os luzíadas de camões, foi um trabalho muito elogiado em sala de aula na fafic  (faculdade de filosofia de cataguases), minas gerais, brasil.

as  5 músicas desta coleção de 1973:

84 – a um passarinho (anibal werneck – vinicius de moraes)
85 – dois ratos imundo presos numa rua suja (anibal werneck de freitas)
86 – pra você, meu velho (anibal werneck & armindo torres)
87 – eu quero um disco-voador (anibal werneck de freitas)
88 – canto v de camões (anibal werneck de freitas)

anibal  werneck de freitas.

domingo, 9 de outubro de 2011

sombuque 7, da janela, 1972


um pouco de história

1972. álbum musical nº 7. na capa, uma janela dando pra rua de uma pequena cidade. nesta coleção musical tenho 11 composições incluindo a parceria da minha mulher, alice, numa música e a, de armindo torres, em duas. nesta ocasião, meu estilo estava ainda se definindo, sofria uma influência muito grande do gênero, yê, yê, yê.




as 11 músicas desta coleção de 1972 são,


73 – euvejo o seu nome em tudo (anibal werneck de freitas)

74 – nossa senhora (anibal werneck de freitas)

75 – a partida do meu bem (anibal werneck & alice machado)

76 – lena (anibal werneck & armindo torres)

77 meu deus (anibal werneck de freitas)

78 – da janela (anibal werneck & armindo torres)

79 – ecila, eu te amo (anibal werneck de freitas)

80 – você é um problema difícil (anibal werneck de freitas)

81 – pois nele está (anibal werneck de freitas)

82 – rock and roll de arrasar (anibal werneck de freitas)

83 – recado (anibal werneck de freitas)



*dentre estas 11 músicas, destaco, recado, nesta postagem.


recado (anibal werneck de freitas) sorte finda no meu braseiro sem cor. / este mundo voa triste sem ter valor. / crio a noite descontraída e só / não encontro a sorte que já me deu um nó. / compreendo a vida, sim. / num só sem fim. / compreendo a vida, sim. / num só sem fim. / sorvo o tempo em contraste à solução. / eu estou embriagado de solidão. / corro parado no meu eu de guerra / pedindo o pouco que no tudo se encerra. / compreendo a vida, sim. / num só sem fim. / compreendo a vida, sim. / num só sem fim. 

anibal werneck de freitas.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

sombuque 6, concluindo, 1971


1971. álbum musical º 6. concluindo. na capa, a primeira página de o jornal de recreio, documentando o i festival da música de recreio(mg). neste evento, eu e o parceiro armindo torres [antes, armindo de castro] tiramos o primeiro lugar com a música, concluindo.
este álbum, do longínquo 1971, tem 8 composições musicais minhas, com os parceiros, sérgio ypisilone e armindo torres.



músicas deste álbum,

65 - recreio querido (anibal werneck & sérgio ypsilone)
66 - refletindo (anibal werneck & armindo torres)
67 - concluindo (anibal werneck & armindo torres)
68 - sim - (anibal werneck & armindo torres)
69 - in the last time (anibal werneck de freitas)
70 - divagando (anibal werneck & armindo torres)
71 - funny girl (anibal werneck de freitas)


concluindo (anibal werneck - armindo torres) o meu tempo já se foi / e você nem ligou. / as mensagens que eu lhe dei / você jamais guardou. / e das coisas que eram suas / você nem sabe enfim. / o que eu tenho pra você / eu trago dentro em mim. / quando a sós nós nos falamos, / eu sinto você fugir / e o que juntos procuramos / nunca iremos descobrir.


anibal werneck de freitas.

domingo, 2 de outubro de 2011

sombuque 5, anibal simplesmente, 1970

1970. álbum musical, 5. na capa, uma cegonha levando um recém-nascido. de volta a recreio-mg, sem emprego, procurando uma forma de conseguir umas aulinhas pra dar. minha avó luiza se empenhou muito em arrumar um emprego pra mim e, graças a ela, consegui um lugar no colégio joão XXIII, para lecionar. também não posso de mencionar o hudson cunha, porque através dele, eu consegui umas aulas na escola da cnec.
este élbum, que já se vai no tempo, tem apenas 7 composições musicais minhas, com os parceiros, jonas lessa, armindo torres, pedro dorigo, theotônio, sebastião, fagundes varella, a de antônio e ico merij. é um álbum que mostra um pequeno marco na minha obra. nota-se um certo amadurecimento do compositor.


músicas deste álbum:

58 - vá até a estrada de recreio-abaíba (anibal werneck - jonas lessa)
59 - l. s. d. feminino (anibal werneck - armindo torres)
60 - paz pra encantar (anibal werneck - pedro dorigo - sebastião)
61 - lira de fagundes varella (anibal werneck - fagundes varella)
62 - ame-o ou deixe-o (anibal werneck - ico merij)
63 - vou caminhando (anibal werneck de freitas)
64 - tema para um trem do interior (anibal werneck de freitas)



sexta-feira, 30 de setembro de 2011

espelho (anibal & antônio lour)


velho são os versos
de amor em rima
velha foram as
tardes de violas
em recreio-minas.

espelho,
reflete a imagem
que os olhos não vê
ou finge que não vê,
amigos.

são os ândersons,
armindos,
dimas e anibals
tardes de prazer,
cervejas e canções
de sol e sal.

velha é a imagem
não reflete os anos
que em nosso rosto 
espelha.

*a letra, propositalmente, foi elaborada numa linguagem coloquial,
ou seja, à maneira como falamos nos botecos da vida.

voz e violão, anibal.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

o sombuque 4, saudades da ecila, aníbal, 1969




 um pouco de história

1969. álbum musical nº4. na capa o desenho do meu rosto jovial.
na ocasião, trabalhava e estudava no instituto carlos alberto werneck, em petrópolis, rj. era interno no colégio e nos fins de semana passava o tempo na casa dos meus tios kléber e cidinha.
este álbum, que já vai no tempo, tem apenas cinco canções, sendo uma com o parceiro itauna jacob.


músicas do álbum,

53 – em ritmo de automação
54 – além desta cidade está você
55 – ecila, ecila, ecila
56 – agora sou mais forte que a própria morte
57 – só comigo será feliz.



 anibal werneck de freitas.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

peixe vivo para jk

esta foi a melodia preferida do nosso grande presidente jk. foi antes de tudo, um homem de muita coragem, não conhecia o medo. foi preciso matá-lo num acidente, do contrário iria dar muito trabalho aos inimigos do povo brasileiro. era o tipo do político que dava ouvido até aos pequenos. tudo que prometia, cumpria. não ficava esperando por verbas para fazer uma obra. sempre dava um jeito. quando foi prefeito de belo horizonte, precisou de muita terra para fazer uma obra, os caminhões não estavam dando conta. o que ele fez? convocou todas os carroceiros possíveis da cidade e, assim, concluiu a obra no tempo previsto. homens como jk, dificilmente aparecerá um igual. por isso mesmo, dedico-lhe (in memoriam), a música que mais gostava em vida, peixe vivo.  


anibal werneck de freitas.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

sombuque nº 3, cosmonauta apaixonado, aníbal, 1968


um pouco de história – 3

1968. álbum musical nº 3. na capa, um cosmonauta na sua nave sideral olhando para o infinito. na ocasião, os americanos estavam se preparando para uma viagem à lua que só se concretizou no ano seguinte, ou seja, 20 de julho de 1969, um dia após o meu aniversário.
este álbum que já vai no tempo, tem 10 c0mposições musicais minhas com os parceiros, theotônio, mauro de queiroz e gilberto perez. é um álbum temático, tirando a última música que é um hino aos normalistas de 68 do colégio joão xxiii de recreio/mg.

as músicas deste álbum nº3 de 1967 são,

43 – minha nave está pronta pra zarpar (aníbal)
44 – um amor espacial (aníbal)
45 – cosmonauta apaixonado (aníbal)
46 – você não sabe o mal que fez (aníbal)
47 – sou esquisito no infinito (aníbal)
48 – alice
49 – cosmonauta caladão (aníbal)
50 – canção do infinito (aníbal)
51 – canção pra dois (aníbal e thetônio)
52 – hino dos normalistas/68 (aníbal e mauro de queiroz/gilberto))


 o vídeo é de outra música, mas a foto é de 1968.

sábado, 27 de agosto de 2011

o visgo (anibal werneck e celso lourenço)


o visgo (anibal werneck e celso lourenço) tudo que é do amor... / deve durar, buscar... / deve valer, sorrir, perdoar, andar, descobrir. / tudo que é do amor... / deve querer, sonhar... / deve chorar, insistir, voar bem longe, sumir. / o visgo que de tanto amar, cresceu. / o visgo que de tanto amor, brotou. / o visgo que não se partiu, ficou. / se repartiu, criou, vingou. / o visgo que de tanto amar, cresceu. / o visgo que de tanto amor, brotou. / o visgo que não se partiu, ficou. / se repartiu, criou, vingou. / tudo que é de amar... / deve sempre durar. / pro que der e vier. / sempre, sempre lutar, / lutar, / lutar, / lutar, / lutar... 

gravação de anibal werneck de freitas.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

sombuque 2, aos meus amigos os selenitas, anibal, 1967


um pouco de história – 2



1967, álbum musical nº2, na capa uma lua e uma estrela, emblema d’os selenitas que seria mais tarde a marca do cantor e compositor gilberto gil, na ocasião, os selenitas eram um conjunto de yé, yé, yé. formado pelos jovens, anibal, roberto e zé rosa, mais tarde o zé rosa foi substituído pelo theotônio.  o grupo fez um grande sucesso com a moçada da época, suas apresentações eram na sede do recreio e. c., em recreio/mg. este álbum  que já vai no tempo, tem 25 composições musicais de anibal werneck e os parceiros, sílvio césar, pedro dorigo e a de antônio, deste álbum, três músicas fizeram sucesso com os slenitas, são elas, por ti, gato branco, não encontrei e ecila, na gaita do nosso saudoso julinho.



as músicas deste álbum nº2 de 1967 são,



18 – eu nasci pra te amar (anibal)

19 – a conquista (anibal & sílvio césar)

20 – tucanlino e sua valsinha (anibal)

21 – por ti (anibal & sílvio césar)

22 – triste canção de um jangadeiro (anibal & pedro dorigo)

23 – ladainha da esperança (anibal & pedro dorigo)

24 – é noite (anibal & pedro dorigo)

25 – yé, yé, yé na roça (anibal & pedro dorigo)

26 – gato branco (anibal)

27 – mar deixe eu ser feliz (anibal & pedro dorigo)

28 – sem você (anibal & pedro dorigo)

29 – onda de lascar (anibal)

30 – quando você passava no bloco de fantasia (anibal)

31 – ecila (anibal)

32 – morreu lá no morro (anibal & pedro dorigo)

33 – meu mundo pequenino (anibal)

34 – alice, somente alice (anibal)

35 – mais penso, mais sofro (anibal)

36 – sempre que vejo você (anibal)

37 – sou quadradão (anibal)

38 – tucanlino, o detetive (anibal)

39 – não corra meu benzinho de lambreta (anibal)

40 – quem fica e vem (anibal & pedro dorigo)

41 – glória (anibal & a de antônio)

42 – corujão (anibal & a de antônio)


 

terça-feira, 9 de agosto de 2011

não vejo nada de interessante no mundo sideral / da jane la do papa.

da janela da casa do meu pai nunca vi nada de interessante no céu, muito menos disco-voador, o máximo uma estrela cadente, nem o famoso cometa halley consegui ver, aliás, quando olho por céu vejo muito mal estrelas, meu filho me deu um telescópio, o máximo que consigo tirar dele é a lua mais de perto, a mesma lua mostrada pela televisão, nada mais, realmente o céu é a coisa mais monótona que existe, não tem nada de interessante, a impressão que tenho é a de estarmos no meio do nada, a natureza não foi nada generosa para com os seus simples mortais, nossos planetas mais próximos  estão todos mortos praticamente, nem a lua tão perto de nós escapou, parece uma brincadeira de mal gosto, um lugar vazio, sem a menor condição de vida, estamos simplesmente perdidos neste imenso universo, num mundinho pequeno chamado terra que já tem os seus dias contados, pois bem, tirando o nosso planetinha, não vejo nada de interessante no mundo sideral.

portanto, só mesmo cantando pra segurar a barra.


da janela do papa  (anibal werneck - armindo torres) da janela do papa, / da janela do papa, / da janela do papa, / vi... / vi um disco-voador, / vi um disco-voador, / vi um disco-voador. / papai da janela contando as estrelas. / eu sempre naquela também quero vê-las. / estrelas tão lindas de vários tamanhos. / distantes e perto formando rebanhos. / da janela do papa, / da janela do papa, / da janela do papa, / vi... / vi um disco-voador, / vi um disco-voador, / vi um disco-voador. / papai procurando no alto da vida. / buscando encontrar a ovelha perdida. um dia talvez num horizonte de cor. / embarque pra sempre num disco-voador. / da janela do papa, / da janela do papa, / da janela do papa, / vi... / vi um disco-voador, / vi um disco-voador, / vi um disco-voador.

anibal werneck de freitas.