MAR DE MORROS

sexta-feira, 13 de abril de 2012

SOMBUQUE 26, CONCEIÇÃO, ANIBAL, 1987



CONCEIÇÃO (Anibal Werneck de Freitas) Indo pro lado de Conceição / Tem uma figueira com assombração. / Passando por lá a gente vê uma luz / No fundo da capoeira, credo-cruz! / Passando por lá a gente vê uma luz / No fundo da capoeira, credo-cruz! / No cemitério tem a mulher-cobra / Com a sepultura cercada por corrente. / Na igreja, sozinho, o sino dobra / Assustando toda gente. / Na igreja, sozinho, o sino dobra / Assustando toda gente. / Conceição, assombração... / Ontem criança, que emoção! / Conceição, assombração... / Hoje adulto, que recordação! /


1987, Conceição é o nome deste novo álbum musical. Na capa, um desenho da igreja de Conceição da Boa Vista, esboçado pelo autor. Neste álbum, um parceiro novo, o Ricardo Ramon. O Celso Lourenço continua firme e forte e se não fosse ele, a música Conceição não existiria, pois bem, até uma brincadeira com o Zé Dimas [outro parceiro] fizemos em forma de música, AO ZÉ DIMAS, é o nome da composição.
As músicas mais bonitas deste álbum são, TÃO FRACA, O CERAMISTA, MINEIRO-PAU E CONCEIÇÃO.


As músicas deste número,

249 – PROCLAMAÇÃO (Anibal Werneck & RICARDO RAMON)
250 – TÃO FRACA  (Anibal Werneck & CELSO LOURENÇO)
 251 – O CERAMISTA (Anibal Werneck & CELSO LOURENÇO)
252 – AO ZÉ DIMAS (Anibal Werneck & CELSO LOURENÇO)
253 – MiNEIRO-PAU (Anibal Werneck de Freitas)
254 – TANCREDO, O NOME (Anibal Werneck de Freitas)
255 – CONCEIÇÃO (Anibal Werneck de Freitas)

Nenhum comentário:

Postar um comentário