MAR DE MORROS

sábado, 30 de julho de 2016

SIDA - celso lourenço & anibal werneck



O MEU PARCEIRO E AMIGO, CELSO LOURENÇO, QUANDO ME MOSTROU ESTA MÚSICA, PENSEI LOGO EM FAZER UMA LETRA SOBRE A AIDS, QUE ESTAVA MATANDO MUITA GENTE NA OCASIÃO, INCLUSIVE CONHECIDOS. TODAVIA, PARA FACILITAR O TRABALHO, RESOLVI COLOCAR A SIGLA EM ESPANHOL, SIDA, [SÍNDROME DA IMUNO-DEFICIÊNCIA ADQUIRIDA]. ACONTECE QUE, PREMUNIÇÃO OU NÃO, VEIO-ME A IDEIA ABSURDA DE MORTOS NA PAREDE. DEPOIS QUE TERMINEI OS VERSOS DA MELODIA, RESOLVI PESQUISAR O ASSUNTO E, ASSUSTADO, ACHEI AS CATACUMBAS DOS CAPUCHINHOS, CRIPTAS SUBTERRÂNEAS LOCALIZADAS NA CIDADE DE PALERMO, NA SICÍLIA, NO SUL DA ITÁLIA. SENDO ASSIM, RESOLVI FAZER ESTE IMPRESSIONANTE VÍDEO, POSTADO EM 23 DE NOVEMBRO DE 2012. VALE A PENA CONFERIR.

Anibal Werneck de Freitas.

sexta-feira, 29 de julho de 2016

PRIMAVERA CURIÓ (Ânderson Panza)



ANDINHO, ERA O SEU NOME DE GUERRA. MUITO QUERIDO PELAS GAROTAS, ANDAVA COM O SEU VIOLÃO, JUNTO A UM CADERNO, CONSTANDO SUAS COMPOSIÇÕES, E EM CADA BAR DE RECREIO-MINAS, DESFILAVA O SEU REPERTÓRIO.
POIS É, INFELIZMENTE, UM ACIDENTE DE MOTO O TIROU DO NOSSO MEIO. DESTE MODO, FICA AQUI MINHA HOMENAGEM PÓSTUMA, CANTANDO, 'PRIMAVERA CURIÓ', DE SUA AUTORIA E QUE FEZ MUITO SUCESSO NUM FESTIVAL DE MÚSICA EM PIRAPETINGA-MINAS, E, ATÉ O PÁROCO DO LUGAR QUIS CONHECÊ-LO PESSOALMENTE.

anibal werneck de freitas.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

BESLAN -- A ROTA TERMINAL / anibal werneck de freitas



O que me deixa bastante chateado é que muitos não se preocupam, pelo menos, em compartilhar com a dor alheia. Certa vez, uma conceituada pessoa de minha terra, me disse que parou de ler jornais e revistas, devido às inúmeras notícias ruins que estavam incomodando o seu bem viver. Ora, a compaixão pelo próximo é o mínimo que podemos fazer. Mas existe muita gente assim, que não está nem aí para os menos afortunados. Existem pais que não deixam os filhos passarem por ruas onde a pobreza está exposta como uma ferida. Eu creio que o mundo seria bem melhor se a compaixão fosse comum a todo ser humano. As pessoas se esquecem que amanhã podemos ser vítimas deste mundo cruel que nos rodeia. Quando fiz a música, BESLAN, alguém chegou pra mim e disse, Anibal, esta música é muito triste, faça algo que nos traz alegria. Eu virei pra ela e disse ter muita música falando de coisas boas, todavia, eu não podia me calar diante da chacina na escola de Beslan, onde muita criança morreu, enquanto os sequestradores trocavam tiros com a polícia russa, já parou pra pensar se você fosse um dos pais que perderam seus filhos, naquele famigerado dia?. Pois é, não podemos ficar alheios às coisas horrendas que estão acontecendo com os nossos
semelhantes.
anibal werneck de freitas.

domingo, 24 de julho de 2016

LUA NUA (Anibal Werneck de Freitas)




Tenho que vender o meu peixe ou pelo menos mostrá-lo. Graças à internet aqui estou com um dos grandes. Trata-se de uma música que fiz em 1980, Lua Nua. Tudo começou com o jornalista, Will Brum, que divulgou o meu show, Lua Nua, na Exposição Agropecuária de Recreio-Minas, no jornal Tribuna de Minas, de Juiz de Fora. Acontece que o jornal foi parar nas mãos da Marília Gabriela, dona do programa, Tv Mulher, na Globo. Deste modo, em tempo, ela noticiou o referido show, Lua Nua. De lá pra cá, surgiu uma boate chamada, Lua Nua, donde saíram os Mamonas Assassinas. Depois, a atriz Beth Savalla [Dona Conegundes de, Êta Mundo Bom!] apareceu com uma peça de nome, Lua Nua, e, finalmente, Caetano Veloso, numa de suas músicas, cita, também, Lua Nua. Ainda me lembro que muita gente em Recreio-Minas, ficou intrigada com isto. O Hélio farmacêutico [in memoriam] chegou a me perguntar se tudo isso tinha relação com a minha música, pelo fato dela ter sido divulgada através da Globo. Olha, confesso que não sei, mas algo me diz até hoje que tem. É coincidência demais pro meu gosto.

anibal werneck de freitas.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

ÊXTASE (Anibal Werneck & Armindo Torres) 2003



ÊXTASE, nenhuma alusão à droga e sim à beleza feminina, até porque esta música foi composta antes da chegada do alucinógeno no mercado. A gravação tem a minha interpretação, tocando violão, com o meu filho, Anibal, fazendo o solo na guitarra. Foi um momento importante no meu trabalho musical, no ano de 2003.

anibal werneck de freitas.